O Brasil, para superar a estagnação na produtividade, precisará avançar em diferentes campos e com políticas complementares: será necessário aprimorar o capital humano, abrir a economia à competição internacional e superar a resistência política contra as reformas. Essa é a análise do economista Naercio Menezes Filho, professor e pesquisador do Insper, professor da FEA-USP e sócio do CDPP.

Em sua entrevista ao jornalista Giuliano Guandalini, Menezes enfatiza a importância do investimento nas crianças pobres e na redução da desigualdade. Apenas assim o país deixará de aparecer entre os piores nos rankings de mobilidade social.

“Os programas de transferência de recursos para as crianças se autofinanciam”, afirma Menezes. “Estudos mostram que, se pensarmos no longo prazo, é um gasto que se paga. As crianças vão ficar mais tempo na escola e, quando adultas, serão pessoas mais produtivas. Encontrarão um bom trabalho no mercado formal, serão empreendedores. Vão pagar mais impostos, e o governo não terá que gastar com programas como o Bolsa Família. O país cresce mais.”

A entrevista está disponível no canal do CDPP no YouTube e no Podcast do CDPP no Spotify.

As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente as do CDPP, tampouco as dos demais associados.