O poder excessivo do estado brasileiro, na figura de empresas sujeitas à vontade do mandatário de plantão,  possibilita o tipo de comportamento que teve o presidente Jair Bolsonaro, ao pedir que o Banco do Brasil reduzisse os juros


Veja mais em: https://www.infomoney.com.br/blogs/economia-e-politica/alexandre-schwartsman/post/8271323/o-dilmo