REDE MINAS

Quase 27 milhões de brasileiros estão na linha de pobreza extrema. O cenário é reflexo do fim do pagamento do auxílio emergencial a quase 68 milhões de pessoas. Especialistas afirmam que sim, é possível reduzir a pobreza e a extrema pobreza no país sem sobrecarregar as contas públicas, assunto que discutimos hoje no Opinião Minas​. Sobre o assunto, nós conversamos com o pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas e também um dos autores do Programa de Responsabilidade Social do CDPP (Centro de Debates de Políticas Públicas), Fernando Veloso.

As opiniões aqui expressas são do autor e não refletem necessariamente as do CDPP, tampouco as dos demais associados.