Band (publicado em 04/07/2021)

Canal Livre deste domingo (04) recebe o economista Pérsio Arida, ex-presidente do Banco Central e do BNDES, além de um dos formuladores do Plano Real, para analisar o momento econômico do País e projetar expectativas para os próximos anos. A apresentação fica por conta de Rodolfo Schneider, ao lado dos jornalistas Fernando Mitre e Juliana Rosa. 

Para Pérsio, nenhuma economia cai para sempre. “Quando cai, depois se recupera. Economia tem ciclos”, diz. No entanto, o economista acredita que é necessário ir além desse ciclo econômico. “É crescer mais permanentemente, mudar a tendência estrutural de crescimento”.

Pérsio Arida também chama atenção para o fato de que o Brasil é um País pobre e, portanto, é necessário elevar a renda: “Temos que distribuir melhor a renda, certamente, mas temos que aumentá-la também. E, para isso, é preciso fazer um volume de reformas que esse governo claramente se mostra incapaz de fazer. Foi incapaz até agora e, certamente, não será capaz até o final desse ano ou do ano seguinte”, critica. 
Sobre chegar às camadas mais pobres da população, o economista diz que é preciso haver um crescimento vigoroso. “Para você conseguir, de fato, absorver mão de obra de forma substantiva e alavancar o País, você tem que crescer 3,5% e 4%. E acho que dá pra chegar lá, mas é preciso uma constelação política econômica muito diversa da atual. Muito diversa”, afirma. 

Além do desemprego provocado pela pandemia, o Brasil também vive o risco de uma crise no setor elétrico. A jornalista Juliana Rosa perguntou justamente sobre o impacto econômico com relação ao baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas. O economista respondeu que a dependência do País à matriz hídrica é de longa data e que é preciso se lembrar de outras duas fontes de energia: o gás natural e a energia solar. “O Brasil tem água e tem sol, dentre outras bênçãos que temos. Tem que se fazer uma transição para as energias limpas. A hídrica é limpa, mas é limitada. Tem que aproveitar esse fato e ir na direção das energias não poluentes radicalmente”, disse. “Se o Brasil for crescer 4% ao ano e não pensar na matriz energética ano no sim, ano não, vai ter problema.”

Link da publicação: https://www.band.uol.com.br/noticias/persio-arida-ex-presidente-do-banco-central-diz-que-nenhuma-economia-cai-para-sempre-mas-que-brasil-precisa-de-volume-de-reformas-16357870

As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente as do CDPP, tampouco as dos demais associados.